fechar

Teatro

Teatro

Monólogo ‘Te Falo com Amor e Ira’ de Branca Messina ganha nova temporada a partir de 9 de agosto

Te Falo com Amor e Ira – Branca Messina – cred Ana Alexandrino (2)

O espetáculo online “Te Falo com Amor e Ira” ganha uma nova temporada em agosto, nos dias 9, 16, 23 e 30 (segundas-feiras), às 21h. O solo, com atuação de Branca Messina (“A Divisão” e “Gênesis”) e direção de Fernanda Bond (“A Menina e o Pote”), narra o encontro de uma mulher e um homem através de eras – durante uma videochamada. A mulher fala, o homem escuta. A peça pode ser assistida gratuitamente pelo YouTube, com opção de contribuição voluntária.

“Voltamos para mais uma temporada, inspiradas pelas reações que observamos de nosso público desde a estreia, especialmente o jovem. Nossa ideia é sempre dialogar com esses públicos”, explica Branca Messina. Da sua casa, através da câmera de seu celular, a personagem de Branca convida um personagem masculino para ouvir suas histórias, sob o ponto de vista feminino sobre temas como maternidade, amor e subjetividade. “O lance de ser ao vivo faz com que cada experiência seja única”, garante a atriz e roteirista carioca.

“A gente sempre quis que o espetáculo atingisse as pessoas que estão agora em formação para serem homens e mulheres mais conscientes”, destaca a diretora Fernanda Bond, que divide a dramaturgia com Branca. O texto do espetáculo trabalha com mitos e figuras arquetípicas históricas sobre o papel da mulher desde a antiguidade. “Através dessas narrativas interessa passar justamente essa noção de que a história se repete: ou a gente faz diferente ou vamos continuar nesse mesmo lugar, apesar de três mil anos terem se passado”, conclui.

Trecho:

“E me diz, e diz com leveza… E com toda certeza de que eu vou entender… Que eu preciso entender, afinal de contas somos uma família, estamos todos aqui para servir ao nosso senhor, ao nosso patriarca, ao nosso herói. Só que eu não entendo… Porque eu sou uma bruxa, eu sou senhora das feras e eu não aceito esse lugar, da mesma forma quando… Quando Lilith eu não aceitei esse lugar, quando Eva eu também não aceitei o não saber, eu não me conformei, porque eu não me conformo, eu não quero esse lugar para mim, e nem para nenhuma outra mulher.”

Serviço

Peça teatral online ‘Te Falo com Amor e Ira’, no Youtube

Nova temporada: segundas-feiras – 9, 16, 23 e 30 de agosto, às 21h | ao vivo

Ingressos: gratuito, com opção de contribuição voluntária;

Classificação: 12 anos;

Instagram: @te.falo.com.amor.e.ira

Youtube: https://bit.ly/3f8DMJs

LEIA MAIS
Teatro

Festival Internacional de Comédia está com inscrições abertas até 9 de agosto

Festival Bobo 3 – crédito Gabriel Botelho

“Mais amor e bom humor, por favor!” é o que pede o BOBO – Festival Internacional de Comédia. Com inscrições abertas até 9 de agosto, o evento busca privilegiar o protagonismo das diversidades no humor brasileiro através de uma programação online e gratuita com 20 atrações em formato de esquetes cômicas junto de espetáculos e atividades formativas da arte do clown e da bufonaria.

       O festival irá selecionar os artistas que irão compor as noites temáticas “Mostra Sua Cara”, como foco na comédia LGBTQIA+; a “Afronight”, direcionada ao humor produzido por comediantes pretos; a “Olha elaaa!”, mostra com protagonismo exclusivamente feminino; a “Stand up Comedy Show”, para o gênero da comédia em pé; e “Show de Variedades”, que irá aglutinar variadas manifestações cômicas. Os interessados poderão enviar seu material em vídeos de 5 a 20 minutos ou então descrever seu número artístico por meio de um roteiro. O Júri Popular decidirá os melhores de cada categoria com a entrega do Troféu BOBO, além de uma estatueta exclusiva para o público da internet, que poderá participar desta edição produzindo conteúdo para as redes sociais.

Gabriel Botelho, diretor geral, comenta sobre a importância do projeto: “A cura pelo riso é o melhor remédio para os tempos tristes em que estamos vivendo, sem sombra de dúvidas. Este festival surge como alívio cômico, onde formas antigas e novas de comédia se encontram para nos lembrar da potência do humor em transformar a realidade. Nós brasileiros sabemos disto muito bem, afinal a internet é um lugar que conquistamos diariamente com a nossa infinita capacidade criativa – somos os reis dos memes! Por isto queremos celebrar a singularidade da comédia brasileira criando espaços de representatividade que deem evidencia às diversidades. O BOBO é um lugar para todo o tipo de graça, seja ela vinda do palco, da rua ou da web”.

      Idealizado pelo Grupo Borogodó e co-produzido pela 5 Atos Produções, ambos de Porto Alegre, o projeto foi contemplado pelo edital Criação e Formação – Diversidade das Culturas, realizado pela Fundação Marcopolo e Secretaria da Cultura do RS através dos recursos da Lei nº 14.017/2020, a Lei Aldir Blanc. A programação oficial conta com medidas de inclusão e acessibilidade e estará disponível no mês de setembro nas plataformas digitais.

      O regulamento pode ser acessado no site grupoborogodo.com.br junto do formulário de inscrição.

Serviço:

BOBO – Festival Internacional de Comédia

Inscrições: 26 de julho a 9 de agosto no site www.grupoborogodo.com.br

Período do festival: 16 a 25 de setembro

Realização: Grupo Borogodó

Produção executiva: 5 Atos Produções

Sobre o Grupo Borogodó

            O Grupo de Teatro Borogodó surgiu no final de 2016, criado por pelos atores Gabriel Botelho e Junior Sifuentes. Desde então vem em constante produção teatral e pedagógica, criando e encenando “O Misterioso Segredo das Pequeninas Grandes Coisas”, primeiro espetáculo infanto-juvenil brasileiro a falar do rompimento da barragem de Fundão em Mariana, Minas Gerais, ocorrido no ano de 2015 e que tristemente eternizou o rio Doce na memória de nosso país. Já apresentou esta encenação para um público de mais de 20 mil pessoas em inúmeros municípios gaúchos, participando de eventos importantes como a Feira do Livro de Porto Alegre e a Virada Sustentável. O Grupo realiza atividades formativas na área do teatro e do circo em espaços como a Casa de Cultura Mario Quintana e o Centro Cultural CEEE Erico Veríssimo, formando mais de 120 alunos nos últimos dois anos, Traz em sua trajetória a pesquisa e a produção interdisciplinar, escrevendo diversas encenações e espetáculos adultos e infantis consistentes. Atualmente desenvolve atividades formativas virtuais devido à pandemia e está em fase de criação dos espetáculos “Viagem ao Centro da Terra” e “A Volta ao Mundo em 80 dias”, livremente inspirados na obra homônima de Júlio Verne.

LEIA MAIS
Teatro

EDIFÍCIO CRISTAL

EDIFICIO CRISTAL_Foto Alex Ramirez_

Edifício Cristal teve a temporada prorrogada no Multipalco Eva Sopher, ao lado do Theatro São Pedro, em Porto Alegre, onde ficará em cartaz gratuitamente até o dia 30 de agosto. Composta por 11 histórias, trata-se de uma produção interativa que permite ao espectador ouvir o relato dos personagens e desvendar o cenário onde vivem. As visitações têm que ser agendadas, entre segundas, quartas e sextas, das 13h30 às 17h30. Agendamento gratuito pelo e-mail: agendatsprs@gmail.com

   A Cia. Incomode-Te buscou um caminho próprio repleto de criatividade para reproduzir a vida e suas emoções, em pouco espaço, durante a crise sanitária do novo coronavírus. Assim nasceu a nova produção do grupo: uma cristaleira cenográfica que abriga diversos espetáculos curtos. Em vez de louças e pratarias, miniaturas ilustram visualmente onze apartamentos acompanhados de histórias fictícias sobre personagens vivendo em quarentena. Cada apartamento foi concebido a partir do lixo reciclado dos integrantes da trupe.

   O projeto foi idealizado por Liane Venturella e surgiu bem antes da pandemia. Outra curiosidade é que cada integrante da equipe trabalhou sozinho, em isolamento social, comunicando-se somente em reuniões por vídeo chamadas. Mesmo sendo composta por adereços, todos de material reciclado, em formato reduzido, a produção tem todos os elementos de uma montagem teatral. A trilha sonora original é assinada por Angelo Primon. Juan Quintáns está à frente da engenharia de som. Todo o projeto luminotécnico e a automação é de Ricardo Vivian e a cenotécnica, de Matheus Grimm. 

   É um verdadeiro espelho do nosso cotidiano, exatamente como um condomínio. Cada apartamento tem um número e, para escutar o que se passa lá dentro, basta apenas colocar os fones de ouvido, escolher a unidade, apertar um botão e acompanhar a locução que acontece paralelamente a automação de iluminação programada para o apartamento escolhido, nas vozes dos atores Carlos Ramiro Fensterseifer, Liane Venturella, Letícia Vieira e Nelson Diniz. 

   Uma experiência visual, sonora e aberta à imaginação do público. É que os episódios não são ilustrados por bonecos ou vídeos. A partir da narração do elenco, da trilha sonora, da iluminação e da cenografia criada para cada ambiente, o espectador será convidado a embarcar em uma viagem na qual terá o desafio delinear os protagonistas na sua própria mente: um síndico transtornado, o último inquilino do imóvel que está para alugar, a filha que precisou isolar-se para cuidar da mãe, a senhora que não consegue parar em casa, o casal que adotou duas crianças, um escritor famoso enfrentando a solidão em um moderno duplex, entre outros. 

FICHA TÉCNICA

Idealização: Liane Venturella; Concepção de interiores: Liane Venturella e Nelson Diniz; Textos: Carlos Ramiro FensterseiferLiane Venturella e Nelson Diniz; Locuções: Carlos Ramiro FensterseiferLetícia VieiraLiane Venturella e Nelson Diniz; Cenotécnica: Matheus Grimm; Projeto Luminotécnico e Automação: Ricardo Vivian; Trilha Sonora: Angelo Primon; Desenho de Som: Juan Quintáns; Assessoria de Imprensa: Léo Sant´Anna; Fotos: Alex Ramirez; Identidade Visual: Ricardo Petry; Produção: Primeira Fila Produções; Realização: Cia. Incomode-Te.

QUANDO: Até 30/08, segundas, quartas e sextas, das 13h30 às 17h30 (visitação mediante agendamento prévio pelo e-mail: agendatsprs@gmail.com)

ONDE: Multipalco Eva Sopher (Pça Marechal Deodoro s/nº – Centro de Porto Alegre) – Entrada pela guarita ao lado do Theatro São Pedro.

QUANTO: gratuito 

LEIA MAIS
Teatro

Mostra de Palhaçaria terá nove dias de espetáculos em formato virtual, acessível e gratuito

Heinz Limaverde – Foto Divulgação

A Quimera Criações Artísticas realiza, de 24 de julho a 1º de agosto, a primeira edição do Curto-circuito – Mostra de Palhaçaria Cibernética. O projeto foi contemplado com a Lei Aldir Blanc nº 14.017/20, por meio do Edital Criação e Formação Diversidade das Culturas, que destinou verba para o setor cultural durante a pandemia do coronavírus. 

Dentro da proposta de criar uma programação universal, para todos os idiomas e nacionalidades, e acessível ao público surdo, os participantes foram desafiados a adaptar seus estilos na criação de esquetes que utilizam a comicidade física para compor as cenas e construir narrativas. A Mostra reúne alguns dos mais influentes palhaços de diferentes gerações que atuam no circo, no teatro, na arte de rua, na dança e em hospitais, entre eles: Heinz Limaverde, Larissa Sanguiné, Tuta Camargo, Walter Diehl, circos Híbrido e Girassol, Grupo Ueba e Quimera. Para este projeto, foram convidados artistas de Porto Alegre, Canoas, São Leopoldo, Novo Hamburgo, Canela, Caxias do Sul e Santa Maria. 

“A Mostra de Palhaçaria Cibernética surgiu, em meio a pandemia, com o intuito de incentivar e viabilizar que artistas cômicos gaúchos pudessem migrar para as mídias digitais. Como resultado, o público será contemplado com um acervo permanente de obras que, de forma sensível e bem humorada, refletem um retrato da nossa realidade, tornando-se um importante registro histórico deste período tão delicado da humanidade e servindo não só para o entretenimento, mas também como fonte de estudo para as futuras gerações de artistas e pesquisadores”, destaca Jeferson Rachewsky, um dos idealizadores do projeto.

Durante nove dias, serão disponibilizados 20 vídeos de curta-metragem no Instagram e YouTube da Quimera Criações Artísticas (https://linktr.ee/quimeracriart), além de drops com curiosidades sobre a palhaçaria. A Mostra foi concebida também por Walter Diehl, com produção de Lucida Desenvolvimento Cultural. 

Programação
24 de julho | Sábado
19h: Abertura
19h15: Cia H Dança (Porto Alegre)
19h30: Heinz Limaverde | Cia Rústica (Porto Alegre) – Palhaço Roe Roe 

25 de julho | Domingo
19h: Juliana Wolkmer – Quimera Criações Artísticas (Porto Alegre)
19h15: Circo Híbrido (Porto Alegre)
19h30: Míriam Torres – Trupe Pé de Palhaço (Canela)

26 de julho | Segunda-feira
19h: Larissa Sanguiné (Porto Alegre)
19h15: Denis Gosch – Quimera Criações Artísticas (Porto Alegre)

Dia 27 de julho | Terça-feira
19h: Tuta Camargo – Circo Teatro Girassol (Porto Alegre)
19h15: Jeferson Rachewsky – Quimera Criações Artísticas (Porto Alegre)

Dia 28 de julho | Quarta-feira
19h: Eveliana Marques Ekin – Palhaça Leontina (Porto Alegre)
19h15: Paulo Stürmer – Circo Jardim (Novo Hamburgo)

Dia 29 de julho | Quinta-feira
19h: TIA – Teatro Ideia Ação (Canoas)
19h15: Carollini Marafigo – Flor de Figo Produções (Porto Alegre)

Dia 30 de julho | Sexta-feira
19h: Cia de Palhaços Clowncando (Santa Maria)
19h15: Luiz Manoel – Quimera Criações Artísticas (Porto Alegre)

Dia 31 de julho | Sábado
19h: Grupo Ueba Produtos Notáveis (Caxias do Sul)
19h15: Walter Diehl – Palhaço Nenusko (São Leopoldo)
19h30: Letícia Paranhos – Quimera Criações Artísticas (Porto Alegre)

Dia 1º de agosto | Domingo
19h: Márcio de Lima – Grupo de Pesquisa Teatral Signatores (Porto Alegre)
19h15: Fabiana Santos – Quimera Criações Artísticas (Porto Alegre)
19h30: Encerramento

LEIA MAIS
CulturaMúsicaTeatro

Orquestra Theatro São Pedro, de Porto Alegre, encerra a programação de aniversário dia 27 de junho, às 18h

RENATO BORGHETTI SOLO

Com regência do maestro Evandro Matté, a Orquestra Theatro São Pedro fará o concerto de encerramento da programação que celebra os 163 anos do Theatro São Pedro, que traz Helena Losada (soprano), Hique Gomez (violino e canto) e Renato Borghetti (acordeón) como solistas e participação especial dos músicos Neuro Jr. (violão de sete cordas) e Ricardo Arenhaldt (bateria e percussão). O evento será híbrido, com a presença de público (capacidade reduzida para 30% – que corresponde a 190 espectadores). Os ingressos serão gratuitos, mediante a doação de 2kg de alimento não perecível, disponíveis de 24 a 26 (quinta a sábado), na recepção do Multipalco Eva Sopher (ao lado do Du’Attos Restaurante), das 13h30 às 18h. Não haverá troca de ingressos no dia da apresentação para evitar aglomerações. A apresentação também será transmitida ao vivo pelo youtube do Theatro São Pedro: www.youtube.com/c/theatrosaopedrors.

*este evento disponibiliza medidas de acessibilidade física e de conteúdo

Sobre a Orquestra Theatro São Pedro – POA:

A OTSP foi criada em 1985 e, desde então, tem sido mantida com apoio da iniciativa privada e por um conjunto de associados. Ousadia e busca da excelência são atributos da orquestra,

sempre com o compromisso de honrar tudo o que representa o Theatro São Pedro. A

programação diversificada apresenta obras do repertório da música de concerto, ópera, ballet, música popular e instrumental brasileira. Além da programação de concertos oficiais, a OTSP apresenta anualmente a série de Concertos Theatro São Pedro, série de Concertos Banrisul para Juventude, Concertos Comunitários Zaffari, sob direção artística do maestro Evandro Matté. A criatividade e a originalidade sempre estão presentes na programação que conta com solistas de renome nacional e internacional.

Sobre Evandro Matté | Maestro:

É Diretor Artístico e Maestro da OSPA (Orquestra Sinfônica de Porto Alegre), da Orquestra

Theatro São Pedro / POA e do Festival Internacional SESC de Música. Seu primeiro contato com a música foi através do trompete, aos 7 anos, atuando como intérprete deste instrumento por 25 anos. Depois de graduar-se em música pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFGRS), fez especializações na University of Georgia (EUA) e no Conservatoire de Bordeaux (FRA). Foi docente na UPF (Universidade de Passo Fundo) e na Unisinos (Universidade do Vale do Rio dos Sinos), onde coordenou o MBA em Gestão Cultural. Atuando como maestro desde 2005, tem dirigido diversas orquestras no Brasil, Argentina, Uruguai, República Tcheca, Croácia, Itália, China, Alemanha e EUA. Foi o fundador e coordenador do projeto social VIDA COM ARTE que realiza inclusão social através da música. Possui MBA em Gestão Empresarial pela FGV. Por sua contribuição cultural ao desenvolvimento das artes francesas no Brasil, em 2019 foi condecorado pelo Ministère de la Culture da França pela insígnia de Chevalier dl´Ordre des Arts et des Lettres.

Sobre Hique Gomez | Violino:

Em 2017 A Sbornia Kontr’Atracka vai Portugal e circula por três cidades Estarreja, Viseu e

Águeda onde fazem o encerramento do Festival Internacional de Artes Multidisciplinares. Em 2018 Fazem concerto com a Orquestra Sinfônica de Porto Alegre chamado “A Ospa Vai a

Sbørnia” no Auditório Araújo Vianna para 3000 pessoas. Com participação do Coro Sinfônico e o Coro Jovem da Ospa. Em 2019 estreia seu concerto junto a Renato Borghetti e a Orquestra de Câmara da Ulbra com regência de Tiago Flores, onde é um dos responsáveis pelos arranjos. Ainda em 2019 lança sua autobiografia “Para Além da Sbørnia”, registro dos 30 anos da trajetória do espetáculo. Em 2020 estreia a web serie “Sbørnia Em Revista”, patrocinado pela Rio Grande Seguros, dando continuidade ao seu trabalho por meio da internet.

Sobre Renato Borghetti | Acordeon:

Detentor do “Primeiro Disco de Ouro da Música Instrumental Brasileira”, se fossemos

encontrar um rótulo ou classificação da obra de RENATO BORGHETTI, o instrumental do

gaiteiro costuma entrar nos arquivos de música étnica ou até jazz fusion, mesmo tendo na

essência ritmos como vanerão, chote, milonga e chamamé. A posição de Borghetti é bastante clara a este respeito: “Minha música é regional gaúcha e minha fonte e rumo é a partir desta posição que desenvolvo meu trabalho”.

Renato Borghetti é versátil, as formações musicais que o acompanham alternam entre Duos,

Quartetos, Quintetos e Sextetos. Com a desenvoltura que abre sua gaita em um salão de baile ou CTG (onde começou) também circula com naturalidade em salas sofisticadas e festivais instrumentais. Renato é frequente atração internacional em festivais do seu instrumento, o acordeon (ou gaita, ou fole, ou sanfona, dependendo da região brasileira) já tendo dividido o palco dentro e fora do país com mestres como o italiano Ricardo Tesi, o irlandês Martin O´Connor, o português Artur Fernandes, o espanhol Kepa Junqueira e músicos brasileiros como Oswaldinho do Acordeon, saudosos Dominguinhos e Sivuca, Hermeto Pascoal e tantos outros. Além da agenda exterior, o músico cumpre extensa programação em território nacional, levando a música instrumental gaúcha aos mais diversos cantões de nosso Brasil.

Sobre Helena Losada | Canto:

Graduada em canto da UFRGS, começou os estudos musicais através do piano, aos 7 anos,

tendo gravado o primeiro disco infantil no ano seguinte. Iniciou-se no canto lírico em 2016,

quando foi selecionada para integrar o Coro Sinfônico da OSPA, com o qual se apresentou

como solista e corista. Integrou os cantores da ópera Don Giovanni, de Mozart, e interpretou a personagem Lauretta na ópera Il Maestro di Música, de Pergolesi. Em 2019, aos 20 anos,

obteve o segundo lugar no Concurso Internacional de Canto Maria Callas. Em 2021 recebeu

bolsa de estudos para Mestrado na Boston University.

FICHA TÉCNICA

Orquestra Theatro São Pedro | Porto Alegre

Maestro

Evandro Matté

Solistas

Helena Losada | Canto

Hique Gomez | Violino e Canto

MINISTÉRIO DO TURISMO E STIHL APRESENTAM

Renato Borghetti | Gaita Ponto

Participação Especial

Neuro Jr | Violão de Sete Cordas

Ricardo Arenhaldt | Bateria e Percussão

Violinos 1

Geovane Marquetti

Francisco Coser

Mariana Teneos

Luiz Guilherme Nóbrega

Elena Romanov

Violinos 2

Geraldo Moori

Robert Cruz

Marina Silva

Gabriel Ludwig

Gustavo Reis

Violas

Caroline Argenta

Naila Domingos

Tiago Neske

Álvaro Aguirre

MINISTÉRIO DO TURISMO E STIHL APRESENTAM

Violoncelos

Milene Aliverti

Douglas Araújo

Rafael Honório Sobrinho

Contrabaixo

Rafael Figueiredo

Oboé

Érico Marques Cunha

Clarinete

Diego Grendene

Administração: Associação Pró-Música de Porto Alegre

Diretoria: Jauro Duarte Von Gehlen, Marcelo

Guerchfeld e Silvio Bento

Direção Artística / Maestro: Evandro Matté

Coordenação Administrativa: Cláudia Ferreira

Maestro Assistente: André Munnari

Produção: Clara Santos

Iluminação/Sonorização: André Hanauer de Freitas

Assessoria de Imprensa: LS8 Consultoria de Imprensa

Design e Publicidade: República das Idéias

LEI DE INCENTIVO A CULTURA

Patrocínio: STIHL e GERDAU

Apoio: INBETTA, DUFRIO e BECK DE SOUZA ENGENHARIA e Confeitaria Barcelona

Planejamento e gestão: Cida Cultural

Realização: Fundação Theatro São Pedro; Secretaria de Estado da Cultura; Secretaria Especial

da Cultura, Ministério do Turismo, Governo Federal – Pátria Amada Brasil.

SERVIÇO

Orquestra Theatro São Pedro, Porto Alegre

Concerto Série Especial: “Aniversário Theatro São Pedro”.

Data: 27 de junho de 2021

Local: Theatro São Pedro, 18h (Marechal Deodoro, s/nº – Centro Histórico/POA-RS)

Regência |Evandro Matté

Solista | Helena Losada | Hique Gomez | Renato Borghetti

Classificação Livre

Duração: 1h15

Protocolos de saúde:

Capacidade total: 650 lugares

Capacidade do público para o espetáculo: 30% da capacidade (190 lugares)

Medição de temperatura na entrada do teatro; suporte com álcool gel distribuídos na entrada

e no interior do teatro; poltronas com capas demarcando lugar bloqueado, respeitando as

medidas de distanciamento; e apenas duas pessoas por camarote.

LEIA MAIS
CulturaTeatro

Festival Internacional de Artes Cênicas abre inscrições dia 26 de junho

Festó 5 – crédito Vinicius Menezes. Na foto Junior Sifuentes, Gabriel Botelho, Cláudia Carvalho e Siane Leonhardt. MENOR

Até o dia 10 de julho estarão abertas as inscrições para artistas interessados em compor a programação do Projeto Festó, realizado pelo Quarta Parede – Festival Internacional de Artes Cênicas, uma ação cultural resultante de mais uma parceria entre o Grupo Borogodó e a 5 Atos Produções, de Porto Alegre.

A curadoria do festival pretende selecionar e remunerar 10 encenações teatrais direcionadas ao público adulto e 3 atividades formativas de teatro, dança e circo a fim de compor a programação deste ano, que será totalmente online em virtude das medidas de distanciamento social. Gabriel Botelho, um dos criadores e diretor geral, salienta que o evento se apresenta como um agente multiplicador que preza a pluralidade técnica e artística, vendo na inclusão e na acessibilidade eixos fundamentais do compromisso com a representatividade nas artes cênicas gaúchas. Por isso, a produção almeja nesta primeira edição evidenciar a diversidade de linguagens e propostas, tendo um olhar atento aos espetáculos de diferentes regiões do estado à medida que descentraliza os recursos por meio da contratação de artistas educadores, grupos e companhias.  

“Estamos passando por momento inédito e delicado na cultura onde muitos artistas estão impossibilitados de apresentar os seus trabalhos como gostariam, já que dependem do contato direto com o público. É por isso que pensamos em um projeto que fosse exatamente ao encontro desta necessidade, investindo em ferramentas que fossem capazes de gerar novas formas de encontro e propiciar momentos para trocas de saberes e de afeto, mesmo que de maneira virtual. Festivais sempre foram muito importantes para as artes cênicas, seja em relação ao seu contexto histórico, político ou cultural. Do ponto de vista econômico, eles têm um papel substancial na geração de emprego e renda aos diversos profissionais, o que estimula o mercado da cultura e democratiza o seu acesso, fortalecendo a cadeia produtiva da economia criativa.”, complementa o diretor.

O projeto foi contemplado pelo edital Criação e Formação – Diversidade das Culturas, realizado pela Fundação Marcopolo e Secretaria da Cultura do RS através dos recursos da Lei nº 14.017/2020, a Lei Aldir Blanc, e terá sua programação lançada gratuitamente no final de agosto nas plataformas e redes sociais.  Os interessados podem ler o regulamento e se inscrever através do site grupoborogodo.com.br.

Serviço

PROJETO FESTÓ

Inscrições: 26 de junho a 10 de julho no site www.grupoborogodo.com.br

Período do festival: 26 de agosto a 04 de setembro

Realização: Quarta Parede – Festival Internacional de Artes Cênicas e Grupo Borogodó 

Produção Executiva: 5 Atos Produções

Contatoquartaparedefestival@gmail.com

LEIA MAIS
AgendaTeatro

VAI PASSAR

VAI_PASSAR_01_Créditos_Ekin

Dirigido por Luciane Panisson, VAI PASSAR é o mais novo espetáculo do Coletivo Das Flor. A temática partiu dos conceitos de impermanência e inter-relação e foi fruto de uma reflexão profunda sobre o caráter mutável da vida. Uma proposta que se comunica com todas as idades e gêneros, pensada para o “palco” virtual, que se utiliza da improvisação como dispositivo de relação entre os participantes. Aventura-se a desbravar os recursos das ferramentas da web para provocar interações pautadas na leveza, na inteireza e no humor.

O espetáculo é um solo da atriz e palhaça Eveliana Marques Ekin, com duração de 35 minutos e apresentado de forma online e ao vivo, via plataforma zoom. Em um formato interativo e aberto ao improviso e a participação do público, busca promover uma cumplicidade e comunhão entre os presentes, através da exposição, do riso e da relação entre os espectadores. Foi criado no final de 2020, durante a pandemia do Covid 19, de forma totalmente independente e agora está sendo executado através do Edital Criação e Formação Diversidade das Culturas realizado com recursos da Lei nº 14.017/2020.” que possibilitou a sua qualificação nos âmbitos da Atuação, Direção, Dramaturgia, Direção de Arte, Trilha Sonora e Produção.

O Espetáculo virtual Vai Passar, terá duas sessões, gratuitas, nos dias 10 e 11 de julho às 17 horas, via zoom e contará com o recurso de acessibilidade em libras.

SINOPSE

Em uma sala virtual, a palhaça Leontina envolta num ambiente místico, regado à música e à bruma dos incensos, recebe o público e o convida a respirar e contatar com o presente. Ela oferece à platéia virtual o baralho de cartas, e nesta leitura compartilhada, o conceito de impermanência – temática central do espetáculo – é apresentado no jogo improvisacional proposto por ela. As múltiplas janelas que estão abertas promovem um convívio efêmero, mas que instaura a interdependência e a cumplicidade na escuta dos conselhos, confidências e intuições que a Leontina partilha. O espetáculo nos convida a refletir com leveza, humor e poesia sobre o caráter transitório da vida, e dos acontecimentos que experienciamos, trazendo para a consciência o fato irrevogável de que tudo VAI PASSAR.

FICHA TÉCNICA

Produção Geral e Atuação: Eveliana Marques Ekin;

Direção: Luciane Panisson;

Orientação em Palhaçaria: Melissa Dornelles;

Produção Executiva e Social Media: Jordan Maia;

Direção de Arte: Margarida Rache;

Trilha Sonora Original: Vini Silva;

Mixagem, Preparação Vocal e Técnico em Mídias: Rodrigo Fontoura

Intérprete de Libras: Celina Xavier;

Designer Gráfico: Mário Bressiani;

Assessoria de Imprensa: Gustavo Saul – 51 98154-0682;

Realização: Coletivo Das Flor;

Financiamento: Edital CRIAÇÃO E FORMAÇÃO DIVERSIDADE DAS CULTURAS Fundação Marcopolo. LEI ALDIR BLANC 14.017/2020.

SERVIÇO:

O que? Espetáculo Virtual Vai Passar

Quando? 10 e 11 de julho  às 17h

Onde? Plataforma ZOOM

Quanto? Gratuito

Indicação: LIVRE

Acessibilidade: Tradução em LIBRAS

Link da sala Zoom: http://bit.ly/espetaculovaipassar

CONTATO:

Site Vai Passar:  https://espetaculovaipassar.wixsite.com/vaipassar

Instagram Coletivo Das Flor: https://www.instagram.com/coletivodasflor/

Portfólio Coletivo Das flor: https://www.youtube.com/watch?v=zE6DNLtMbYI&t=311s

Site Coletivo Das Flor: www.dasflor.com.br

Youtube Coletivo Das Flor: www.youtube.com/user/CANALDASFLOR

Telefone: 51 991746735 – Ekin

LEIA MAIS
CulturaEntretenimentoTeatro

Com amor – Chico Xavier é destaque na programação do Porto Verão Alegre 2021

11032020-KSF_9123

Inteiramente online pela primeira vez na história, a edição 2021 do Porto Verão Alegre terá como destaque nos dias 30 e 31 de maio e 01 de junho, a partir de 20h, a peça Com amor – Chico Xavier, da Namaskar Produtura.  

Na comédia, dois personagens chamados Emmanuel e Meimei contam causos do médium mineiro com música, vídeos e encenando momentos emocionantes, hilários e também alguns pouco conhecidos da sua vida de alegria e fraternidade. O espetáculo tem autoria e direção de Luis Carlos Pretto, que divide o palco com a atriz Juliana Pretto. Completam a equipe Adson Silva no som e Leandro Gass na iluminação. 

Os ingressos antecipados já estão disponíveis e podem ser adquiridos através do link http://portoveraoalegre.com.br/com-amor-chico-xavier-13, no valor de R$ 9,90. 

Serviço:

Com amor – Chico Xavier 

Data: 30 e 31 de maio, 01 de junho

Horário: 20h

Valor do ingresso: R$ 9,90

LEIA MAIS
CulturaTeatro

Arte como Ciência: Raízes | Zé da Terreira – Na cadência do tambor

Richard Serraria_Crédito Ane Franke

O projeto ARTE COMO CIÊNCIA apresenta entrevistas com artistas que desenvolvem um olhar reflexivo e científico sobre a relação entre seu fazer artístico e a sociedade.
O projeto atualmente apresenta sua programação especial Arte como Ciência: Raízes, iniciada em Abril e acontecendo durante todo o mês de Maio. A programação conta com 5 encontros totalmente gratuitos e virtuais e traz em sua proposta a reverência e a reflexão sobre a trajetória profissional de importantes nomes da cultura gaúcha. A realização conta com o lançamento de um webdocumentário sobre o trabalho de cada artista, acompanhado de uma mesa redonda virtual que debate o tema central da trajetória apresentada, com a presença de profissionais especialistas em cada temática.
No primeiro encontro, Mestre Pernambuco – Quilombismo, a utopia viável, nos conectamos com a trajetória do artista, professor e ativista Mestre Pernambuco. No segundo encontro, Vera Lopes – Arteativista das lutas negras, conhecemos mais sobre a trajetória criativa de Vera Lopes, mulher negra, mãe, avó, artista e ativista da cultura negra. Já no terceiro encontro, Seli Maurício – O exercício da sensibilidade, nos aprofundamos na trajetória de Seli Maurício, artista plástica e bonequeira nascida em Morro Redondo.
No quarto e penúltimo encontro do Arte como Ciência: Raízes, Zé da Terreira – Na cadência do tambor, entraremos no ritmo da trajetória de ancestralidade fértil de Zé da Terreira. O encontro apresentará um webdocumentário sobre o artista, seguido de debate entre o próprio Zé, Richard Serraria e Amir Haddad, com mediação de Viviane Juguero, idealizadora do projeto.

    O encontro acontece no dia 18/05, às 14:30 (BRT) e pode ser assistido ao vivo no canal do Arte Como Ciência no Youtube.

O Arte como Ciência: Raízes foi criado em meio à pandemia do COVID-19, um momento em que o mundo está sofrendo o luto de perder tantas trajetórias repletas de maturidade, experiência e sabedoria. As pessoas enfocadas nesta realização possuem mais de sessenta anos. Elas fizeram parte de momentos históricos essenciais às transformações dos modos de emocionar e refletir que as realizações artísticas promovem. Elas integram o momento presente, de forma contundente, pois nada substitui a relevância de suas experiências. Essas pessoas foram, são e continuarão sendo essenciais ao desenvolvimento cultural do Rio Grande do Sul. O Arte como Ciência: Raízes é um ato político de conscientização e reverência a pessoas que constituem ancestralidades férteis, repletas de realizações passadas e possibilidades presentes e futuras. 

Ao mesmo tempo, o projeto engloba profissionais com trajetórias e experiências distintas, em uma equipe diversa em todos os sentidos. Junto a profissionais com ampla experiência e formação, aprendizes e iniciantes também tiveram a oportunidade de aprimorar seus conhecimentos, por meio de distintos estágios. A iniciativa também reúne, além de sua equipe diretiva e de produção, profissionais da arte de diversos estados, ampliando nacionalmente a repercussão do trabalho, além de equipes de acessibilidade, divulgação e tradução, pois, seguindo o propósito original do projeto de estabelecer conexões internacionais, todos os vídeos e encontros contam com tradução para o inglês e o espanhol.

O Arte Como Ciência: Raízes está sendo realizado com recursos da Lei nº 14.017/2020, através do Edital SEDAC nº 09/2020 – Concurso Produções Culturais. Os vídeos, mesas redondas e demais conteúdos do projeto podem ser acompanhados nos canais do Arte Como Ciência no Youtube, Facebook, Instagram e também no site do projeto.

Conheça os nomes presentes neste encontro:

:: Zé da Terreira ::

José Carlos Peixoto, Zézão ou Zé da Terreira, nasceu em Rio Grande, em 1945. É cantor, ator e personalidade do meio cultural de Porto Alegre. Em 1969, estudou no Departamento de Arte Dramática da Ufrgs. Foi para o Rio de Janeiro em 1970, conviveu com o grupo Tá na Rua. Participou como cantor no Festival Universitário de Música Brasileira. Em 1984, de volta a Porto Alegre, trabalhou no Ói Nóis Aqui Traveiz e no grupo teatral Oficina Perna de Pau.



:: Richard Serraria ::

Richard Serraria é autor do conceito de tamboralitura. É um poeta e cancionista brasileiro. Pesquisador da cultura negra do cone sul da América Meridional, trabalha com o tambor Sopapo há 25 anos. Doutor em Literatura Brasileira pela UFRGS, atua com as bandas Bataclã FC e Alabê Oni, além de espetáculos solos fundamentados em intervocalidades, performances corporais e griotismo. Possui oito discos lançados e dois DVDs. Atuou em Cuba, Espanha, Argentina, Uruguai e cento e vinte cidades de todos estados do Brasil por meio do Projeto Sonora Brasil do Sesc, em 2013/14.


:: Amir Haddad ::
Amir Haddad é diretor e professor de teatro, diversas vezes premiado. Seu trabalho, nacional e internacionalmente reconhecido, tem como objetivo recuperar o sentido de festa do Teatro e a dramaticidade das festas populares, ressaltando os aspectos de pesquisa e de educação que norteiam suas buscas pela transformação do teatro, comprovados pela constância e persistência com que desenvolve núcleos de trabalho – espaços de desenvolvimento de seus questionamentos sobre o ator como indivíduo, o espaço, a dramaturgia – e pela prática permanente enquanto educador. Considerado um dos maiores encenadores do Brasil, o criador do Grupo Tá na Rua, iniciado em 1980, leva a arte do teatro para o espaço aberto das ruas e praças, ressaltando a importância das comemorações populares na vida social e cultural das cidades. Amir Haddad recupera para o teatro o seu sentido de festa popular, dela resgatando sua dramaticidade. Reconhecido internacionalmente, desenvolve uma série de atividades didáticas nas artes cênicas como oficinas, seminários e cursos. É criador de um teatro preocupado em se comunicar e se tornar cada vez mais próximo de sua platéia. Dos palcos às salas abertas, das quadras às ruas e às praças, rompeu a Quarta parede para abrir um caminho em direção a um teatro vivo e transformador para quem o vive e o faz. Como resultado de suas pesquisas e investigações, nestas áreas do teatro, desenvolveu ferramentas eficientes para a construção de um ator que responda ao sentimento contemporâneo, ao mesmo tempo em que o instrumentaliza para uma leitura aguda e profunda da trajetória humana e da dramaturgia produzida pelo teatro em todos os tempos.

:: Viviane Juguero ::
Viviane Juguero idealizou a proposta do Arte Como Ciência com base no conceito de “dramaturgia radical” que desenvolveu em seu doutorado, ao refletir sobre as raízes do papel social da arte, com base na Educação Radical, proposta por Paulo Freire. Atualmente, trabalha no Departamento de Arte e Educação da Universidade de Stavanger, na Noruega. É bacharel, especialista, mestra e doutora em artes cênicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, com estágio doutoral na Universidade de Wisconsin-Madison, EUA. É membro da Associação Internacional de Teatro para Crianças e Jovens (ASSITEJ), dentre outras redes artísticas e científicas nacionais e internacionais. É autora de livros, artigos e ensaios, peças teatrais, roteiros audiovisuais, músicas e projetos artístico-pedagógicos, para crianças e adultos, encenados e / ou publicados no Brasil e no exterior, em diversos idiomas.  

Evento no Facebook

Próximo encontro da programação:

25/05 > Irene Santos – Memórias fotográficas de negros de alma preta
Debate por: Dedy Ricardo e Alexandra Dumas 

Sempre às 14:30 (BRT), ao vivo no canal do Youtube ou na página no Facebook do projeto.

fb.com/artecomociencia
yt.com/artecomociencia

Serviço: 

Arte como Ciência: Raízes

Terças-feiras, sempre às 14:30 (BRT) 

27 de abril – Mestre Pernambuco: Quilombismo, a utopia viável

04 de maio – Vera Lopes: Arteativista das lutas negras

11 de maio – Seli Maurício: O exercício da sensibilidade

18 de maio – Zé da Terreira: Na cadência do tambor

25 de maio – Irene Santos: Memórias fotográficas de negros de alma preta

Como assistir: As mesas redondas e web-documentários serão transmitidos em nosso canal no Youtube e em nossa página no Facebook.
Canal do Youtube: youtube.com/artecomociencia

Página do Facebook: fb.com/artecomociência

Nossos canais de comunicação:

Site oficial: https://www.artecomociencia.com/ 

Instagram: @artecomociencia | https://www.instagram.com/artecomociencia/

Ficha técnica do Arte como Ciência: Raízes

Idealização, Coordenação Pedagógica, Roteiro e Direção: Viviane Juguero

Coordenação Técnica e Direção: Daniela Israel

Coordenação de Tradução Solidária e Pesquisa Histórica: Cleiton Echeveste

Produção Institucional e Arte Conceitual: Éder Rosa
Direção de Produção: Freddy Paz

Assistente de Produção: Lity Tavares e Gianluca Cozza

Coordenador de Producão: Pedro de Lima Marques

Edição e Finalização: Victoria Ketzer e Filipe Barros

Equipe de Roteiros: Juliana Balhego e Jorge Rein
Criação de Material Gráfico: Ana Moura

Comunicação: Ana Luísa Moura

Assessoria de Imprensa: Simone Lersch

Tradução para o Espanhol: Paula Cabrera e Phelipe Cerdeira

Tradução para o Inglês: Celso Júnior
Realização: Bando de Brincantes

Produção: Bactéria Filmes

Sobre o projeto:  

O projeto ARTE COMO CIÊNCIA apresenta entrevistas com artistas que desenvolvem um olhar reflexivo e científico sobre a relação entre seu fazer artístico e a sociedade. A intenção é dialogar sobre o papel crucial e específico que as distintas criações artísticas desempenham na permanente formação pessoal e social, em cooperação, mas não em subordinação, com outros campos do saber.
Em 2020, foram realizados quatro episódios – a apresentação do projeto, contando com profissionais de distintos países, além das entrevistas inéditas com os brasileiros Jessé Oliveira e Richard Serraria, e a estadunidense Kathy Perkins. Já em 2021, o projeto realizou, em conjunto com CBTIJ/ASSITEJ Brasil, o debate virtual “Arte para Crianças e Jovens”, com a presença de Clarissa Malheiros (México), Idris Goodwin (Estados Unidos), Jerry Adesewo (Nigéria), María Inés Falconi (Argentina), Imran Khan (Índia) e Yuck Miranda (Moçambique), e mediação de Viviane Juguero (Brasil/Noruega). Em fevereiro, foi realizada entrevista com o pesquisador cubano Luval Garcia Leyva. 

LEIA MAIS
Teatro

EDIFÍCIO CRISTAL

EDIFICIO CRISTAL_Foto Alex Ramirez_

 A Cia. Incomode-Te buscou um caminho próprio repleto de criatividade para reproduzir a vida e suas emoções, em pouco espaço, durante a crise sanitária do novo coronavírus. Assim nasceu Edifício Cristal, uma cristaleira cenográfica que abriga diversos espetáculos curtos. Em vez de louças e pratarias, miniaturas ilustram visualmente onze apartamentos acompanhados de histórias fictícias sobre personagens vivendo em quarentena. Cada ambiente foi concebido a partir do lixo reciclado dos integrantes do grupo.

  É um verdadeiro espelho do nosso cotidiano, exatamente como um condomínio. Cada apartamento tem um número e, para escutar o que se passa lá dentro, basta apenas colocar os fones de ouvido, escolher a unidade, apertar um botão e acompanhar a locução que acontece paralelamente a automação de iluminação programada para a unidade escolhida. As vozes são de Carlos Ramiro Fensterseifer, Liane Venturella, Letícia Vieira e Nelson Diniz. 

  Uma experiência visual, sonora e aberta à imaginação do público. É que os episódios não são ilustrados por bonecos ou vídeos. A partir da narração do elenco, da trilha sonora, da iluminação e da cenografia, o espectador será convidado a embarcar em uma viagem na qual terá o desafio delinear os protagonistas na sua própria mente: um síndico transtornado, o último inquilino do imóvel que está para alugar, a filha que precisou isolar-se para cuidar da mãe, a senhora que não consegue parar em casa, o casal que adotou duas crianças, um escritor famoso enfrentando a solidão em um moderno duplex, entre outros. 

   O projeto foi idealizado por Liane Venturella e surgiu bem antes da pandemia. “Era um desejo antigo. Eu já tinha pensado em transformar uma cristaleira em uma espécie de palco. Quando decidimos fazer uma produção remota, o Nelson Diniz já estava fazendo as miniaturas com materiais recicláveis. Aí, a ideia se encaixou perfeitamente”, explica a atriz. 

   Outra curiosidade é que cada integrante da equipe trabalhou sozinho, em isolamento social, comunicando-se somente em reuniões por vídeo chamadas. Mesmo sendo composta por adereços em formato reduzido, a produção tem todos os elementos de uma montagem teatral. A trilha sonora original é assinada por Angelo Primon. Juan Quintáns está à frente da engenharia de som. Todo o projeto luminotécnico e a automação é de Ricardo Vivian e a cenotécnica, de Matheus Grimm. 

  A produção marca a última etapa do projeto que comemora os 12 anos de atividade da Cia. Incomode-Te, que também realizou um ciclo de leituras dramáticas e exibição on-line de curtas-metragens, espetáculos da trilogia Da Mão para a Boca e a nova estreia de Palácio do Fim em formato remoto. Produzida pela Primeira Fila Produções, a iniciativa foi contemplada pelo edital do Governo do Estado do Rio Grande do Sul para o fomento à cultura, em atendimento ao previsto à Lei Federal Aldir Blanc (nº 14.017). 

   Edifício Cristal poderá ser visto de 24 de maio a 11 de junho na Casa de Cultura Mario Quintana, em Porto Alegre. O horário de visitação vai das 10h às 18h, de segunda a sexta-feira. O ingresso é gratuito, mas o público precisa fazer o agendamento prévio por e-mail (visitacaoccmq@gmail.com).

FICHA TÉCNICA

Idealização: Liane Venturella; Concepção de interiores: Liane Venturella e Nelson Diniz; Textos: Carlos Ramiro FensterseiferLiane Venturella e Nelson Diniz; Locuções:  Carlos Ramiro FensterseiferLetícia VieiraLiane Venturella e Nelson Diniz; Cenotécnica: Matheus Grimm; Projeto Luminotécnico e Automação: Ricardo Vivian; Trilha Sonora: Angelo Primon; Desenho de Som: Juan Quintáns; Fotos: Alex Ramirez; Identidade Visual: Ricardo Petry; Produção: Primeira Fila Produções; Realização: Cia. Incomode-Te

QUANDO: De 24/05 a 11/06, de segunda a sexta-feira, das 10h às 18h (visitação mediante agendamento prévio pelo e-mail: visitacaoccmq@gmail.com)

ONDE: Casa de Cultura Mario Quintana (Rua dos Andradas, 736 – Centro Histórico, Porto Alegre) 

QUANTO: gratuito 

LEIA MAIS
1 2
Page 1do2